​Homem que estuprou enteada 63 vezes é condenado a mais de mil anos de prisão

single-image

A Justiça da cidade de Fernandópolis, no interior de São Paulo, decretou pena de 1.008 anos de prisão ao homem acusado de estuprar a enteada por pelo menos 63 vezes.

De acordo com a investigação, os abusos começaram quando a vítima tinha pelo menos seis anos de idade. O crime só parou de ser cometido quando a vítima tinha 11 anos. Foi nesse período que a mãe da vítima rompeu o relacionamento com o autor das agressões.

O cálculo da pena contabilizada as 63 vezes em que o estupro aconteceu multiplicado pela pena de 16 anos (que é prevista para crimes hediondos). Entre os agravantes está a condição do caso se tratar de crime continuado contra uma menor de 14 anos.

Por se tratar de crime hediondo, o condenado teria de ter cumprido ao menos dois quintos da pena, que equivale a 403 anos de detenção.

Entretanto, assim que a sentença for mantida no tribunal, o réu ficará pelo menos 30 anos preso em regime fechado.

À imprensa, a defesa do condenado não comentou o caso, mas, garantiu que entrou com recurso.

t5

%d blogueiros gostam disto: