Corpo de mulher trans morta após colocar silicone industrial é sepultado no Sertão da Paraíba

single-image

Foi enterrado na manhã desta sexta-feira (7), no município de Cajazeiras, Sertão da Paraíba, o corpo da mulher trans Maísa Andrade que morreu depois de aplicar silicone industrial em uma clínica clandestina no bairro do Varadouro, em João Pessoa.

Maísa Andrade, de 34 anos, morreu na quarta-feira (5) no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na capital. De acordo com a assessoria da unidade hospitalar, Maísa foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com sintomas de taquicardia, convulsões e vômito.

A aplicação do silicone industrial tinha sido na região da perna.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proíbe o uso de silicone industrial para procedimentos estéticos e a aplicação no corpo humano é considerada crime contra a saúde pública previsto no Código Penal.

Positive SSL