Caso Henry: Polícia Civil monta força-tarefa para elucidar morte do menino

single-image

Após ouvir 17 testemunhas no inquérito que apura a morte de Henry , o delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), aposta nas provas periciais para a conclusão da investigação. Além dos laudos de exames de necropsia no corpo do menino, o material recolhido no apartamento onde ele dormia, em 8 de março, passa por exames minuciosos.

Numa força-tarefa que une diferentes departamentos da Polícia Civil, investigadores buscam esclarecer o que aconteceu na unidade 201 do bloco I do condomínio Majestic, na Cidade Jardim, Barra da Tijuca. De acordo com depoimentos prestados por Monique e Jairinho na 16ª DP, eles assistiam a uma série na televisão, quando, por volta das 3h30, encontraram Henry caído no chão, com olhos e mãos gelados e olhos revirados.

As pediatras que o atenderam na emergência do hospital Barra D’Or garantem que ele já chegou morto à unidade e com as lesões descritas pelo Instituto Médico-Legal (IML): hemorragia interna e laceração hepática, provocada por ação contundente, e equimoses, hematomas, edemas e contusões.

FONTE:ultimosegundo

%d blogueiros gostam disto: