Nesta quinta-feira (2), familiares de vítimas que morreram nos ataques de avião às Torres Gêmeas, em 11 de setembro de 2001 , pediram que o governo dos Estados Unidos investigue suas suspeitas de que o FBI mentiu ou destruiu indícios ligando a Arábia Saudita aos sequestradores. As informações são da agência Reuters .

A solicitação foi feita em uma carta enviada ao inspetor-geral do Departamento de Justiça, Michael Horowitz. O texto afirma que as “circunstâncias tornam provável que uma ou mais autoridades do FBI demonstrou má conduta deliberada, com intenção de destruir ou ocultar indícios para evitar sua revelação”.

O FBI, no entanto, não quis se pronunciar sobre a carta.

De acordo com a agência, o pedido mais recente feito ao longo dos últimos 20 anos, desde a data dos ataques aéreos, pede indícios como registros telefônicos e uma fita de vídeo de uma festa no estado da Califórnia, porque dois dos sequestradores teriam comparecido no evento mais de um ano antes do atentado.

“Dada a importância dos indícios ausentes em questão na investigação do 11/9, assim como a inépcia recorrente no manejo destes indícios por parte do FBI, uma explicação inocente não é crível”, diz a carta, que é assinada por cerca de 3.500 familiares de vítimas, socorristas e sobreviventes.

O texto pede que o inspetor investigue comunicados feitos pelo FBI em resposta a uma intimação das famílias segundo os quais a agência “perdeu ou simplesmente não é mais capaz de encontrar indícios cruciais sobre os indivíduos que forneceram um apoio substancial aos sequestradores do 11/9 dentro dos EUA”.

Ainda conforme a Reuters , a Arábia Saudita nega ter ligação com os ataques.

 

IG