Bolsonaro tira foto com apoiadores em posto de combustíveis em GO e critica Petrobras: ‘Futebol Clube’

single-image

Depois da visita a refugiados afegãos no município de Luziânia, em Goiás, neste sábado (12), Bolsonaro criticou a alta no preço dos combustíveis e disse que “a Petrobras demonstra que não tem qualquer sensibilidade com a população. É Petrobras Futebol Clube, o resto que se exploda”, afirmou.

O presidente lembrou o projeto, sancionado nesta sexta-feira (11), que zera o imposto federal cobrado sobre o óleo diesel. “Se tivesse atrasado um dia, em vez de [a Petrobras] anunciar ontem [11] o aumento de R$ 0,90 no diesel, poderia ter anunciado R$ 0,30. A gente espera que os postos de combustíveis, na ponta da linha, que aumentaram R$ 0,90, a partir de amanhã [13] reduzam em R$ 0,60 o litro do diesel, que é muito pesado, mesmo assim, para o caminhoneiro”, disse Bolsonaro.

“É um campeonato brasileiro. Eles [a Petrobras] cuidam da vida deles. O resto do Brasil, mesmo numa crise, uma guerra lá fora, que se vire. Lamento a atuação da Petrobras nesse episódio de aumentar em R$ 0,90 o litro do óleo diesel”, concluiu.

Depois das críticas à Petrobras, em Luziânia, o presidente esteve em um posto de combustíveis, onde se reuniu com apoiadores e policiais militares para tirar fotos na cidade. Os registros, já à noite, foram feitos ao lado de uma placa onde é possível ver os novos valores cobrados naquele estabelecimento: o litro da gasolina a R$ 7,497, o do etanol a R$ 4,897 e o do diesel a R$ 6,790.

Após as fotos, Bolsonaro voltou para o Palácio da Alvorada, em Brasília.

R7