Consumo das famílias tem alta de 2,26% no primeiro bimestre do ano; economistas dão dicas de como burlar a alta da inflação

single-image

O Brasil fechou o ano de 2021 com uma inflação de 10,06%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O maior índice desde 2015, e segundo maior desde 2002, não é apenas um número importante para os economistas. A inflação é sentida na prática pela população. Apesar disse, o consumo nos lares brasileiros cresceu 2,26% no primeiro bimestre de 2022 na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (AbrasMercado). Para avaliar esse cenário e dar dicas de como diminuir o impacto da inflação, foram ouvidos os economistas: Marcio Milan, José Ronaldo e Sandro Maskio.

Segundo Marcio Milan, na comparação com fevereiro de 2021, o crescimento foi de 3,98%. Em relação a janeiro, o indicador recuou 0,90%. De acordo com a Abras, a queda é explicada pelo efeito calendário, ou seja, um menor número de dias em fevereiro quando comparado ao mês anterior. O consumo nos lares foi positivo neste primeiro bimestre, ainda que diante de uma inflação elevada e da alta taxa de desemprego”, afirmou.

“A inflação brasileira no ano passado acelerou e o que compensou um pouco foi a melhora da taxa de emprego. Ainda assim, essa redução do poder de compra aconteceu para as famílias, principalmente para as mais pobres. Ou seja, diminuiu o que elas podiam comprar dentro dos seus orçamentos”, comentou José Ronaldo.

Para Sandro Maskio, um dos fatores que ajudam a explicar este fenômeno internacional é a desorganização das cadeias produtivas globais provocada pela pandemia de Covid, quando em 2020 houve uma significativa queda da atividade econômica mundial, seguida de um processo de retomada desequilibrado.

Os economistas dão dicas de como economizar em tempos de alta na inflação:
Combustíveis
• Diminua o uso do ar condicionado. Ele faz o carro consumir mais combustível, já que o equipamento é operado pelo motor;

• Não adie tirar uma mala do carro. Cargas acima de 10 quilos influenciam no consumo de gasolina, pois sobrecarregam o motor;

• Verifique a pressão dos pneus. Pneus murchos geram mais atrito com a via e fazem a gasolina render menos;

• Não acelere com o carro parado no farol, pois isso contribui para esvaziar o tanque mais rápido.

Energia

• Tire da tomada todos os aparelhos que ficam de stand by antes de dormir, deixando ligado durante a madrugada somente o necessário, como a geladeira;

• -Pendure a roupa em um cabide no banheiro durante o banho quente e mantenha as saídas de ar fechadas. O vapor desamassa a roupa;

• Roupas mais delicadas devem ser passadas primeiro. Ao final, você pode desligar o ferro e aproveitar seu calor para passar roupas leves;

• Não utilize a parte traseira do refrigerador para secar panos e roupas;

• Evite o uso do chuveiro entre 17h e 22h, já que a energia fica mais cara no horário de pico do consumo.

Gás

• Mantenha as bocas do fogão limpas. Se as chamas estiverem meio amarelas ou laranjas, é sinal de que as bocas estão sujas ou com mau funcionamento, e mais gás é preciso para cozinhar o alimento. Uma agulha pode desentupir orifícios;

• Para cozinhar mais rápido, usando menos gás, deixe grãos, como feijão e grão de bico, de molho por pelo menos 12 horas antes de levá-los ao fogão;

• Use a panela de pressão quando possível para cozinhar alimentos em menos tempo;

• Prepare alimentos juntos. Enquanto um alimento está cozinhando na panela, uma escorredeira metálica em cima pode preparar legumes no vapor. No forno, pratos que podem ser preparados na mesma temperatura podem ser colocados juntos. Apenas fique atento aos diferentes tempos de cozimento;

• Corte os alimentos em tamanhos menores, para diminuir o tempo de cozimento.

Mercado

• Estabeleça um valor máximo para as compras mensais e a cada ida ao mercado ou hortifruti;

• Aprenda a guardar as compras e faça uma reorganização nos armários ou despensa. Guarde de forma a garantir o consumo adequado e rotatividade dos produtos;

• Evite compras mensais ou muito grandes. Nestas ocasiões, ao encher o carrinho, é maior o risco de incluir itens que a família não precisa;

• Procure saber se há desconto para pagamentos com cartões ou programa de fidelidade. Antes de ceder a um cartão próprio do mercado.