Petrobras diz que aguarda ‘estabilização’ para definir novos preços dos combustíveis

single-image

O diretor de comercialização de logística da Petrobras, Cláudio Mastella, declarou nesta sexta-feira (6) que a empresa espera uma “estabilização” da defasagem de preços dos combustíveis em relação aos preços internacionais para definir novos valores no mercado interno.

O chamado preço de paridade de importação (PPI) é o custo do produto importado trazido ao país. De acordo o diretor, “a empresa evita repassar a volatilidade para o mercado interno”.

“A gente aguarda uma estabilização de defasagem para um novo patamar para então implementar mudanças”, disse o diretor durante coletiva de imprensa sobre os resultados financeiros da empresa no primeiro trimestre de 2022.

O presidente da empresa, José Mauro Ferreira Coelho, disse que não pretende repassar os aumentos de imediato, mas que reajustes devem ser feitos “para manter a saúde financeira da companhia”. Em teleconferência com analistas nesta manhã, Coelho já havia reforçado que a empresa não deve se desviar das práticas de preços de mercado.

Também nesta sexta, a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom) afirmou que o óleo diesel apresenta defasagem média de -21%, enquanto a gasolina apresenta defasagem de -17%.