Polícia prende Paulo Cupertino quase 3 anos após morte do ator Rafael Miguel

single-image

A polícia prendeu nesta 2ª feira (16.mai) Paulo Cupertino, principal suspeito de assassinar o ator Rafael Miguel, de 22 anos, e os pais dele, João Alcísio, de 52, e Miriam Selma, de 50, em um crime que chocou o Brasil, em 9 de junho de 2019. A prisão ocorreu em um hotel, na região de Interlagos, zona sul de São Paulo, durante a Operação Sufoco.

Classificado como violento pela esposa e com o hábito de bater nela e nos filhos, Cupertino não aceitava o relacionamento da filha, Isabela Tibcherani, com Rafael Miguel. Ele fugiu logo após cometer o assassinato e estava foragido até agora. Havia entrado na lista de criminosos mais procurados pelo polícia de São Paulo.

Nas investigações, as autoridades passaram a suspeitar que o criminoso tinha mudado de aparência ou estava usando disfarces. Além disso, não foi descartada a hipótese de que ele tinha se mudado para outro estado. Policiais rastrearam os passos de Cupertino e chegaram a pistas que indicavam que ele poderia estar em Minas Gerais, no Espírito Santo, em Goiás ou no Paraná.

Rafael Miguel e os pais foram assassinados em frente à casa de Isabela, na zona sul da capital paulista. Eles teriam ido à residência da jovem para conversar com a família sobre o relacionamento dos dois. Os vizinhos contam que as vítimas conversavam no portão com Isabela e a mãe dela, quando Paulo chegou. Sem dizer, ele sacou uma arma e atirou contra os três. A polícia suspeita que ele tenha utilizado um carro com placas clonadas na fuga.

Segundo o laudo necroscópico realizado nas vítimas, Paulo Cupertino efetuou treze disparos de pistola contra Rafael Miguel e os pais dele. Sete tiros atingiram o ator, quatro, o pai dele, e dois, a mãe. No SBT, o jovem ficou conhecido pelos personagens Bentinho, na novela Cristal (2006), e Paçoca, na novela Chiquititas, exibida em 2013.