Justiça mantém prisão de policial suspeito de executar professor e o encaminha para o 1º Batalhão da PM

Compartilhe

A Justiça decidiu por manter a prisão preventiva do policial aposentado Antônio Francisco Sales, 81 anos após audiência de custódia, realizada na manhã desta quarta-feira (13), no Fórum Ministro Oswaldo Trigueiro de Albuquerque Mello, no Centro de João Pessoa. O acusado foi encaminhado para o 1º Batalhão da Polícia Militar. Antônio Francisco é suspeito de executar com pelo menos cinco tiros o professor Luecir Brito em frente à escola, onde a vítima trabalhava, na manhã de terça-feira (13).

O policial militar reformado Antônio Francisco após cometer o crime foi preso em flagrante por um policial civil que passava no exato momento da prática do crime. Durante a ação criminosa, a vítima o professor Luecir Brito caminha na calçada em frente da escola, segurando a mão da filha de 13 anos, que ao presenciar o assassinato do pai, ainda tentou protegê-lo.

Policial preso em flagrante

Em depoimento, o policial alegou que não se lembrava do crime e que faz uso de medicação controlada. Segundo o delegado Diego Garcia, o idoso alegou problemas mentais. “O mesmo foi interrogado e disse na maior parte do tempo não se lembrar do ocorrido. Em outras partes do interrogatório, ele ficou em silêncio. Todavia, caracterizado pelas próprias imagens ter sido ele o autor dos disparos, o mesmo foi encaminhado ao exame de corpo de delito e seguirá para a audiência de custódia”, contou o delegado, como notado pelo ClickPB.

Policial reformado atirou cinco vezes

Em imagens que flagraram o crime, é possível ver que o professor Luecir Brito, de 49 anos, foi seguido pelo policial reformado. Ele estava junto com a filha no momento do crime. Na frente da escola, o policial sacou uma arma, chegou perto do professor e atirou contra ele.

Leia Mais

Últimas notícias