Empresa de segurança privada é alvo de operação da PF por fraudar documentos na Paraíba

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (14) a Operação Alcântara 2, que tem como objetivo combater os crimes de falsidade ideológica e o uso de documentos falsos praticados por empresas de segurança privada na Paraíba.

Segundo as investigações, as empresas de segurança encaminharam à Polícia Federal listas de vigilantes contendo informações divergentes dos serviços realmente prestados em eventos festivos do município de Campina Grande e região durante em 2023.

Foram expedidos dois mandados de busca e apreensão pela 4ª Vara Federal de Campina Grande, que também determinou outras medidas cautelares, como a obrigatoriedade dos investigados de comparecerem mensalmente ao juízo, proibição de ausentarem-se da comarca, proibição de frequentar postos de trabalhos de vigilantes e também impedimento de que mantenham qualquer tipo de contato com estes, além da apreensão de uma arma de fogo.

A ação policial de hoje é um desdobramento da Operação Alcântara, que teve sua primeira fase deflagrada em 13/12/2023, ocasião em que foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas residências dos proprietários das empresas investigadas e também nas sedes destas.